Dr. José Reis Ferreira



Licenciado em Medicina pela Universidade Clássica de Lisboa, no ano de 1976, com média geral de 15 valores. Internato geral efectuado nos Hospitais Civis de Lisboa, entre 1977 e 1979, inclusivé.
De 1980 até final de 1990 pertenceu ao Quadro permanente de médicos da Força Aérea, onde organizou uma Unidade de Pneumologia Hospitalar, e colaborou no Serviço de Fisiopatologia Respiratória do então Hospital Militar de Doenças Infecto-Contagiosas (Hospital Militar de Belém) e na Assistência aos Tuberculosos das Forças Armadas.
Internato Complementar de Pneumologia no Hospital de Santa Maria, entre 1980 e 1985.
Assistente Hospitalar de Pneumologia pelo Hospital de Santa Maria, em Setembro de 1986, e Especialista de Pneumologia pela Ordem dos Médicos, em Julho de 1986. Curso Básico de Medicina Aeronáutica da Escola de Saúde das Forças Armadas de Paris, em 1988.
Entre 1991 e 1996 Assistente Hospitalar de Pneumologia no Hospital de Garcia de Orta, coordenando a Unidade de Pneumologia do Serviço de Medicina, até 1994. Dirigiu o Laboratório de Função Respiratória dessa Unidade até 1995. Chefe de Equipa de Urgência entre 1992-93. Médico do Quadro Civil da Força Aérea desde Abril de 1996 a Dezembro de 2013. Neste Hospital desenvolveu um centro de consultas externas de Pneumologia e Alergologia, um laboratório de provas funcionais respiratórias, um núcleo de estudo da patologia do sono, uma consulta de apoio ao fumador e uma unidade de broncofibroscopia e de broncologia terapêutica - laser. Participa na génese do projeto do Hospital das Forças Armadas, mantendo a direção do Serviço de Pneumologia, em 2011. No entanto este projecto sofre sucessivas revisões e ajustamentos, que levam ao seu pedido de exoneração de funções, que se torna efetivo em dezembro de 2013.

Participou e elaborou grande parte dos protocolos do estudo “Pneumobil” sobre a DPOC em Portugal (14000 inquéritos e estudos funcionais 1995-97), e respectiva interpretação e publicação. Entre 2001-2004 participou na organização e realização de um estudo epidemiológico nacional sobre DPOC, efectuado pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia. Em 2008-9 participou no estudo “Pneumobil 2”, que avaliou a repercussão funcional respiratória em fumadores e ex-fumadores, a nível do Continente, sendo o primeiro autor do respectivo relatório, publicado na Revista Portuguesa de Pneumologia. Participou também no grupo da mesma Sociedade que publicou os dados “BOLD” (prevalência da DPOC em Portugal, padronizada a nível mundial) em Setembro 2010, na Reunião da Sociedade Europeia Respiratória, surgindo entre os autores portugueses deste estudo mundial, no European Respiratory Journal, de Dezembro de 2013.

Desde 2003, Director Clínico da Clínica de Doentes Pulmonares, em Lisboa.

Coordenador da Comissão de Trabalho de Tabagismo entre 1995 e 98 e Secretário da mesma Comissão entre 1998 e 2001 (coordenadora: Maria Camila Canteiro).

Interesses principais de investigação: prevenção e diagnóstico clínico da DPOC, cessação tabágica, repercussões do ruído de baixa frequência e vibrações no aparelho respiratório e estudo funcional respiratório.